Lixiviação e laterização

Autor: Cláudio Custódio

O processo de lixiviação é conhecido tradicionalmente como o de lavagem do solo. Para ser mais preciso é um processo que leva ao deslocamento dos minerais do solo para horizontes (ou camadas) mais profundos. Este fenômeno é comum na zona intertropical, devido ao clima úmido, que se caracteriza pelo elevado índice pluviométrico.  No ambiente natural diante de tal processo  o bioma se sustenta graças a própria flora que abastece o solo com material orgânico, porém com o desmatamento, plantações e pastoreio o solo perde gradativamente sua fertilidade, não só pela ação antrópica, mas pelo próprio deslocamento dos minerais  transportados pela drenagem. Portanto os minerais mais solúveis são transportados “empobrecendo o solo”.

Alguns elementos menos solúveis como manganês e o alumínio resistem a lixiviação e acabam contribuindo para um solo mais ácido. Apesar de todo o processo ser recorrente no Brasil, o uso de tecnologias no campo contribui para o ganho de produtividade. Dois exemplos de técnicas utilizadas são: a correção de solos e a calagem, esta ultima contribui para equilibrar o Ph do solo. Neste processo adiciona-se calcário (base) ao solo para neutralizar a acidez deixada pela lixiviação. O calcário mais indicado é dolomítico que  fornece óxidos de cálcio e magnésio , contribuindo para a redução da acidez que por sua vez quebra a barreira química existente contribuindo para o desenvolvimento radicular  e para a permeabilização do solo.

Acho relevante ainda que o aluno não confunda a lixiação com a percolação. No primeiro conceito os nutrientes são transportados pela água, enquanto que no segundo  temos o próprio processo de drenagem. Ou seja, a percolação leva a lixiviação. Em áreas muito úmidas o solo será muito profundo devido ao maior intemperismo químico, isso por sua vez contribui para uma maior lixiviação. Em áreas áridas e semi-áridas este processo é fraco.

A laterização diz respeito justamente a concentração do alumínio e também do ferro, por não serem tão solúveis, a princípio há a formação do latossolo.  É um processo de diagênese (formação da rocha), ao final do processo os solos serão transformados em rocha. Portanto em ambos os conceitos o solo perde a sua fertilidade.

 

Bibliografia

GUERRA, Antônio Teixeira. GUERRA, Antônio José Teixeira. Novo Dicionário Geológico-Geomorfológico. 3 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003

 

9 ideias sobre “Lixiviação e laterização